Relacionamentos Anárquicos em 8 Pontos

radical relations heartEsta é uma tradução/adaptação para o português brasileiro do panfleto sobre relacionamentos anárquicos, escrito originalmente em sueco como “Relationsanarki i 8 punkter”  por Andie Nordgren e publicado por Interacting Arts  em 2006, e traduzido/adaptado para o inglês em 2013 como “ The short instructional manifesto for relationship anarchytambém por Nordgren. Mais em sueco em http://www.andie.se – um website que Nordgren manteve ativo entre 2004 e 2008, onde o conceito de relacionamento anárquico foi definido e explorado por elx[i] e outras pessoas.

Versão para o português: Grupo Mulheres Livres.

O amor é abundante e cada relacionamento é único

Os relacionamentos anárquicos questionam a ideia de que o amor é um recurso limitado, que só pode ser real quando restrito a um casal. Você tem a capacidade de amar mais de uma pessoa, e o amor e o seu relacionamento com cada uma delas não os diminui com as outras. Não classifique ou compare relações e pessoas e relacionamentos; leve em conta o indivíduo e sua conexão com ele. Uma das pessoas em sua vida não precisa ser designada como “a principal” ou “primária” para que o relacionamento seja real. Cada relacionamento é independente, é uma relação entre indivíduos autônomos.

Amor e respeito ao invés de direito pressuposto[ii]

Decidir não fundamentar o relacionamento no “direito pressuposto” significa respeitar a independência e autodeterminação das outras pessoas. Seus sentimentos e história com uma pessoa não lhe dão o direito de comandá-la ou controlá-la para que se adapte ao que é considerado normal num relacionamento. Explore como envolver-se sem extrapolar limites e crenças pessoais. Ao invés de buscar conciliação em cada situação específica, deixe as pessoas amadas escolherem os caminhos que mantém sua integridade intacta, sem fazer disso uma crise no relacionamento. Afastar-se dos direitos pressupostos e das exigências é a única maneira de ter certeza de que você está num relacionamento que é verdadeiramente mútuo. O amor não é mais “real” quando as pessoas abrem mão de coisas umas pelas outras, apenas porque isso é o esperado a se fazer.

Encontre seu conjunto de valores essenciais em relacionamentos

Como você gostaria de ser tratadx pelas outras pessoas? Quais são seus limites e expectativas básicas em todos os relacionamentos? Com que tipo de pessoas você gostaria de passar a vida, e como gostaria que seus relacionamentos funcionassem? Encontre seu conjunto essencial de valores e utilize-o em todos os seus relacionamentos. Não crie regras especiais e exceções como uma forma de mostrar às pessoas que você as ama “de verdade”.

O heterossexismo é forte e predominante, mas não deixe o medo te guiar

Lembre-se que há um sistema normativo muito poderoso em atividade, que dita como é o verdadeiro amor e como as pessoas devem viver. Muitxs irão questionar você e a validade dos seus relacionamentos se você não segue essas normas. Trabalhe com as pessoas amadas para encontrar saídas e artimanhas para neutralizar o pior dessas normas problemáticas. Encontre antídotos positivos, e não deixe que o medo conduza seus relacionamentos.

Prepare-se para o deliciosamente inesperado

Ser livre para ser espontânex – para expressar-se sem medo de punições ou do fardo do “tem que” – é o que dá vida às relações baseadas em anarquia de relacionamento. É organizar-se a partir do desejo de conhecer e explorar um(a) a(o) outrx, e não dos deveres e das exigências, ou da decepção quando eles não são cumpridos.

Finja até conseguir

Às vezes pode parecer que é preciso ser super-humanx para conseguir romper todos os padrões envolvidos na escolha de relacionamentos que não seguem o “normal”. Um bom truque é a estratégia de fingir até conseguir – quando você estiver se sentindo forte e inspiradx, pense em como você gostaria de se ver agindo. Transforme isso em algumas orientações simples, e siga-as quando as coisas ficarem difíceis. Converse e busque apoio de outras pessoas que desafiam as normas, e nunca se censure quando a pressão da normatividade te induzir a um comportamento que você não deseja ter.

Confiar é melhor

Escolher pressupor que a pessoa com quem você tem um relacionamento não deseja te causar mal vai te conduzir por um caminho muito mais positivo do que a abordagem pela desconfiança, na qual você precisa de constante confirmação da outra pessoa pra acreditar que ela está ali com você na relação. Às vezes as pessoas tem tantas coisas acontecendo dentro de si, que simplesmente não sobra energia para estender a mão e cuidar dx outrx. Crie um tipo de relacionamento onde a ausência é não só apoiada como também perdoada rapidamente, o que dá às pessoas muitas chances de conversar, explicar, verem-se e serem responsáveis no relacionamento. Mas lembre-se de seus valores essenciais e de cuidar de si mesmx!

Mudança através da comunicação

Para a maioria das atividades humanas, existe algum tipo de norma vigente sobre como elas supostamente funcionam. Se você quer desviar deste padrão, você precisa comunicar-se – senão as coisas tendem a simplesmente seguir a norma. Comunicação e ação conjunta para mudança são as únicas formas de ruptura.  Relações radicais precisam de conversas e comunicação na sua essência – não como um estado de emergência imposto apenas para resolver “problemas”. Comunique-se em um contexto de confiança. Estamos tão acostumadxs às pessoas nunca dizerem aquilo que realmente sentem ou pensam, que é preciso ler nas entrelinhas e extrapolar para descobrir o que elas realmente querem dizer. Mas essas interpretações só podem ser construídas sobre  experiências anteriores –  em geral baseadas nas normas das quais você quer escapar. Perguntem as coisas umas(uns) às(aos) outrxs. E sejam explícitxs!

Personalize seus compromissos

A vida não teria muita estrutura ou significado sem a união com outras pessoas para conquistar coisas: construir uma vida compartilhada, criar filhxs, ter uma casa ou crescer juntxs, passando por momentos bons e ruins. Estas empreitadas normalmente exigem muita confiança e comprometimento entre as pessoas pra funcionar. Relacionamentos anárquicos não significam nunca se comprometer com nada; mas sim elaborar seus próprios compromissos com as pessoas ao seu redor, libertando-as das normas que ditam que certos tipos de compromisso são um requisito para que o amor seja real, ou que alguns compromissos como criar filhxs ou morar juntxs precisam ser guiados por certos tipos de sentimentos. Comece do zero  e mantenha explícitos os tipos de compromissos que você quer ter com as pessoas.


[i] O ‘x’ é usado substituindo algumas vogais para tornar o texto neutro em relação a gênero, dentro do possível.

[ii] “Entitlement”, no original em inglês.

Anúncios

6 comentários sobre “Relacionamentos Anárquicos em 8 Pontos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s